Coerência: uma necessidade humana essencial, mas que pode ser usada contra você

A coerência é uma virtude, mas, muitas vezes, a sua virtude é usada contra você por pessoas e empresas que exploram a boa-fé das pessoas inocentes

PERSUASÃO

André Soares

4/9/2022 2 min read

Os psicólogos, não é de hoje, compreendem que o desejo de ser coerente é um poderoso motivador humano. O impulso de ser coerente é uma arma potente de influência social. Alto grau de coerência é associado a força pessoal e intelectual. A incoerência, por outro lado, é vista como um traço de personalidade indesejado. Rejeitamos aquelas pessoas e empresas que dizem uma coisa e fazem outra. Os exemplos a seguir, indicam campos da vida social é que a coerência e a incoerência assumem papel importante.

Venire Contra Factum Proprium

No universo do direito, uma expressão em latim revela a importância da coerência. Trata-se do princípio “Venire Contra Factum Proprium”, que censura o comportamento incoerente, contraditório e inesperado. A aplicação a seguir descrita é um bom exemplo.

Um consumidor adquiriu um produto da empresa Sony, quando viajava ao exterior. Ao retornar ao Brasil, o produto apresentou defeito. A Sony (Brasil) entendeu que não deveria consertar ou substituir o produto, porque ele havia sido adquirido junto a Sony (EUA). A Justiça entendeu que a propaganda da empresa sempre destacava a dimensão mundial da empresa, o que teria tornado irrelevante o país em que a operação negocial tenha se realizado. Negar o conserto ou a substituição do produto, em última análise, seria incoerente.

O segredo é o compromisso

A maioria das pessoas é honesta. Tendem a honrar os compromissos que fazem. Antigamente, em épocas que deixam saudade, o compromisso feito por alguém era mais do que um contrato. Era questão de honra. Mais do que a assinatura, o “fio do bigode” sinalizava o poder do compromisso e, portanto, da coerência.

O desejo de coerência pode ser usado contra você

A coerência é um potente motivador humano. No entanto, é preciso ter cuidado com os próprios desejos. Muitas pessoas e empresas utilizam o seu desejo de coerência como forma de manipulação.

Muitas empresas e espertalhões induzem os consumidores a declararem alguns traços de sua personalidade. Por exemplo, induzem as pessoas a se declararem como solidárias, para, logo adiante, apresentarem pedidos de doações financeiras.

Essa é uma técnica comum em algumas seitas religiosas, que se aproveitam da ingenuidade de pessoas mais simples. Os pregadores, durante várias oportunidades, pregam sobre solidariedade, desprendimento e fazem com que o fiel/vítima se declare solidário e desprendido de apego aos bens materiais. Logo adiante, tirando proveito do desejo de coerência, pedem doações generosas às suas vítimas.

Importante dizer que não estamos criticando nenhuma religião específica. A massiva maioria das denominações religiosas age de forma correta e espiritual. Estamos apenas alertando para o comportamento de uma minoria que explora a religiosidade das pessoas.

Conclusão

A coerência é um traço positivo da personalidade. Devemos ser coerentes e praticar o que pregamos. Todavia, como em tudo na vida, devemos estar atentos para que o nosso desejo de ser coerentes não se transforme em uma arma contra os nossos próprios interesses.