Updated : ago 07, 2019 in Direito

Descubra imediatamente o significado da teoria do risco da atividade e aprenda a proteger os seus direitos

Você já deve ter escutado falar na teoria do risco da atividade. As chances de que não saiba o real significado são muito grandes. Conhecendo a expressão, como resultado, você entenderá melhor os seus direitos. Aprenda agora e fácil como fazer para defender o seu dinheiro e os seus direitos.

A maioria das pessoas já teve problemas com prestadoras de serviço ou fornecedoras de bens de consumo. As garantias nem sempre são observadas. Quase nunca as empresas assumem responsabilidades pelos atos que praticam. Está comprovado que os consumidores são desrespeitados. O resultado, você, consumidor, quase sempre perde dinheiro.

Não se esqueça dessa frase: “teoria do risco da atividade”. 

Imagine que alguém clone o seu cartão de crédito. Os bandidos realizam gastos enormes. Quando você percebe, não sabe nem como agir. É incrível como a bandidagem é sofisticada e veloz. Ao avisar ao banco, este diz que não tem nenhuma obrigação. Que a tecnologia que usam não permite a fraude.

Quando as despesas realizadas pelos estelionatários são reveladas, a dívida é astronômica. Toda a confiança que você depositou na segurança do banco vai por água abaixo. Você que luta para economizar, se vê no pior cenário possível. O banco exige o pagamento. O poderoso banco lava as mãos. De repente você não sabe o que fazer. Os funcionários do banco dizem que isso acontece, que a culpa não é deles.

Só que a informação do banco é falsa. O banco responde, mesmo sem culpa, pelos danos causados aos consumidores. A instituição financeira tinha o dever de impedir o cometimento da fraude. Quem recebe os lucros decorrentes do negócio também deve suportar os riscos da atividade. Essa é a regra do artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor.

falha na prestação do serviçoé responsabilidade de quem se propõe a desempenhar determinada atividade. A propósito, o Código de Defesa do Consumidor estabelece que o fornecedor deve ser responsabilizado pela falha na prestação dos serviços, nos termos de seu artigo 20, sobrelevando notar, de acordo com o §2º do mencionado artigo, que “são impróprios os serviços que se mostrem inadequados para os fins que razoavelmente dele se esperam, bem como aqueles que não atendam as normas regulamentares de prestabilidade“. 

É importante que o cidadão comum saiba o significado das expressões jurídicas. O conhecimento é uma importante arma de defesa contra os abusos, tão comuns no mercado consumidor brasileiro. Uma das nossas propostas é explicar conceitos jurídicos de forma fácil. Toda as informações do site Saber Melhor são gratuitas. Mas, sozinhos, não podemos fazer muito.

Precisamos da sua ajuda e, por isso pedimos dois enormes favores, CURTA A NOSSA PÁGINA NAS REDES SOCIAISCOMPARTILHE ESSE TEXTO.

Compartilhar é rápido. Em alguns segundos o texto terá um alcance maior. Quando você nem mais se lembrar que compartilhou, o texto pode chegar em alguém que precisa da informação.

Seja solidário, curta e compartilhe. Agradecemos do fundo do coração. 

Veja isso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *