Entenda como funcionam os golpes e bolsas especulativas, para que você não fique no prejuízo e com um mico em suas mãos

Essa história é inventada, mas, não duvide, poderia ser real. Pode até ser que já tenha acontecido. Melhor dizendo, já aconteceu, mas em formas diferentes.

DINHEIRO

André Soares

4/19/2022 2 min read

Um homem se hospedou em uma cidade próxima a uma floresta. A floresta era conhecida por ser o lar de macacos raros. O homem, hospedado no único hotel da cidade, fez um anúncio no único jornal da pequena cidade. Ele estava disposto a comprar por R$ 100,00 (cem reais) cada macaco que lhe fosse trazido. Houve uma grande polvorosa na cidade. Quase toda a população foi para a floresta capturar os raros macacos. Quase 1.000 macacos foram capturados e os caçadores, regiamente pagos. O homem gastou R$ 100.000,00 (cem mil reais). Mas começou a ficar difícil capturar os macacos.

A população perdeu o interesse na caçada. O homem, então, anunciou que iria pagar R$ 200,00 (duzentos reais) por macaco raro apreendido. A população se embrenhou na mata. Conseguiram mais 500 macacos. O homem gastou mais R$ 100.000,00 (cem mil reais). Mas, capturar os macacos raros se tornou uma tarefa árdua demais. Os macacos desapareceram.

O homem anunciou, no único jornal da cidade, que pagaria R$ 500,00 (quinhentos reais) por macaco. A população se lançou ainda com mais avidez à caça pelos macacos raros. Não conseguiram pegar nenhum espécime. Os macacos haviam acabado. O homem dizia que queria mais macacos e que viajaria por alguns dias e, quando voltasse, pagaria R$ 1.000,00 (um mil reais) por cada macaco. Deixou um assistente cuidando dos macacos que já havia adquirido.

Quando o homem viajou, o assistente, espertamente, anunciou aos quatro ventos que iria enganar o patrão. Ele venderia aos populares cada macaco por R$ 300,00 (trezentos reais) e, quando o patrão voltasse, a população poderia vender os macacos raros para o homem e receberiam R$ 500,00 (quinhentos reais).

Cegos pela cobiça e pela possiblidade de lucro fácil, a população comprou os macacos raros de volta. Pagaram R$ 300,00 (trezentos reais) por exemplar. No total, o assistente do homem arrecadou R$ 450.000,00 (quatrocentos e cinquenta mil reais) pelos 1.500 macacos que o homem já havia comprado e que estavam sob a guarda do assistente.

O assistente deixou a cidade, na mesma noite, sem nem efetuar o pagamento das despesas com a hospedagem. O homem, que na verdade era irmão do assistente, jamais retornou ao lugar. A população entrou em desespero quando percebeu que foram vítimas de um golpe. Ficaram, literalmente, com os micos e, se espera, tenham aprendido que todo negócio muito vantajoso é também perigoso. É assim que funcionam os esquemas de especulação.