Homem é condenado por matar ex-namorada e incendiar o corpo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email
Amor não deve ferir

Acusado de ter matado a ex-namorada a facadas na manhã do dia 29 de agosto de 2019, um homem foi condenado ontem no 2º Tribunal do Júri de Belo Horizonte. O juiz Ricardo Sávio de Oliveira estipulou a pena em 17 anos e 3 meses de prisão, em regime fechado, em função de A.S.O. ter sido condenado também pelo crime de destruição de cadáver.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, o crime foi cometido por motivo torpe e com recurso que dificultou a defesa da vítima. O acusado, por não se conformar com o fim do relacionamento e por ciúme desferiu vários golpes de faca contra a vítima. Após o crime, ele ocultou o corpo em meio a uma trouxa de roupas e contratou um motorista para levá-lo às margens de uma estrada próximas a Piedade de Paraopeba, onde afirmou que um terceiro iria encontra-lo.

Ainda segundo a acusação, naquele local, o acusado encontrou um veículo onde colocou o corpo da vítima e ateou fogo. Consta ainda que, após o crime, ele enviou mensagens do celular da vítima, passando-se por ela, na tentativa de justificar o sumiço e evitar que a família a procurasse.

Porém, a família ficou sabendo da presença dele na casa no dia do desaparecimento e que tinha saído carregando um grande volume. Logo em seguida, embarcou em um carro.

Ao oferecer a denúncia, o Ministério Público ainda requereu que o acusado fosse julgado pelo crime de feminicídio, considerando o contexto de violência doméstica e familiar, tendo em vista que o denunciado era ex-namorado da vítima.

Para o juiz Ricardo Sávio de Oliveira, o crime cometido foi “extremamente grave”, em especial por ter o réu manipulado a família da vítima por meio de mensagens telefônicas. Também considerou reprovável o corpo da vítima ter sido incendiado, o que dificultou a identificação.

Por essas razões condenou o acusado a 16 anos pelo homicídio e 1 ano e 3 meses pela destruição do cadáver. O juiz ainda determinou que o acusado permaneça preso durante a fase de recurso.

Processo nº 0024.19.100.807-7

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email
Saber Melhor

Saber Melhor

Deixe um comentário

Sobre Nós

Mais importante do que dizer quem somos é informar o que temos a oferecer para você aqui no site “saber melhor”. Somos um grupo de pessoas com as mais diversas profissões e experiências. Médicos, advogados, psicólogos, jornalistas, pais, mães e irmãos de crianças com deficiência, dentre outros, que somamos as nossas experiências e conhecimentos para trazer informações úteis e de qualidade para tornar a sua vida menos complexa. E o melhor, tudo inteiramente de forma gratuita. Leia mais

Artigos Recentes

Siga-nos no Facebook

Conteúdos Relacionados

Nosso Twitter