TODAS AS GRANDES COISAS COMEÇAM DE DENTRO PARA FORA

TODAS AS GRANDES COISAS COMEÇAM DE DENTRO PARA FORA

26 de junho de 2019 0 Por Saber Melhor

A estimulação das crianças com deficiência cognitiva e comportamental exige dedicação, paciência e paixão. Para ser feita, como qualquer coisa grandiosa, precisa começar no interior de quem estimula e de quem é estimulado. Antes de qualquer ato, a estimulação é uma decisão consciente.

Podemos comparar o cérebro humano a um computador, uma das máquinas mais engenhosas e sofisticadas já criadas. A comparação não é justa – porque o cérebro é potencialmente muito mais sofisticado do que o computador mais sofisticado e potente já criado – mas, mesmo assim, útil aos propósitos do texto.

O computador, segundo a definição mais simples, é uma máquina destinada ao processamento de dados, capaz de receber instruções que visam produzir certas transformações nesses dados para atingir um fim determinado. O nosso cérebro, de igual forma, é um órgão, uma máquina, que recebe dados, informações para atingir determinados fins.

Funcionalmente, o computador é controlado por um sistema operacional, conhecido como linguagem.

Fora do mundo computacional, a linguagem é a forma que os seres humanos, se comunicam com outros seres humanos e consigo mesmo. Usamos a linguagem para nos comunicar com os outros, mas, também, conosco. O pensamento nada mais é do que uma linguagem não verbal, utilizada para que possamos “conversar com os nossos botões”.

Através da linguagem verbal ou não verbal, conversamos com o nosso cérebro e com o cérebro dos que nos circundam. É assim que decidimos se podemos ou não atravessar uma rua com segurança, sem sermos atropelados pelos carros.

Diante dos desafios da estimulação, devemos, mentalmente, orientar o nosso cérebro e corpo para alcançar aqueles objetivos. Internamente, temos de dizer é possível, eu conseguirei e gerar expectativas positivas. Se já dissermos, vou tentar, mas acho impossível, é melhor nem tentar, pois a nossa programação neurolinguística já estará predeterminada ao fracasso.

E essa linguagem positiva, afirmativa, deve, também, ser incutida na pessoa que será estimulada. O estimulador e o estimulado devem buscar agir na mesma sintonia.

Sugerimos, assim, que as metas sejam estabelecidas e escritas em um pedaço de papel que deve ficar sempre visível. Um memorial de que é possível e, mais do que isso, uma lembrança de que devemos continuar e superar as dificuldades que eventualmente surjam no nosso caminho.

As mudanças e transformações que queremos, como todas as grandes coisas, começam dentro de nós.

Compartilhe